Wine Report

Além da qualidade do vinho!

imagem de uma mulher com a mão na barriga

Prisão de ventre: causas e tratamento

A prisão de ventre, ou intestino preso, é o nome popular para constipação intestinal. Este distúrbio se caracteriza pela dificuldade constante de evacuar, e é mais comum em cardápios alimentares com pouca fibra, pouco consumo de líquidos (principalmente água), sedentarismo e consumo em excesso de proteína de origem animal.

Considera-se um quadro de constipação apenas quando a evacuação ocorre duas vezes ou menos durante a semana, e quando há um grande esforço e de forma improdutiva. Este é um problema que costuma atingir em maior número mulheres, sobretudo na gestação, em crianças e idosos.

Para saber mais sobre suas causas e como deve ser tratado, confira as informações que separamos neste texto.

 

O QUE É PRISÃO DE VENTRE

Vontade de ir ao banheiro sem conseguir evacuar, mesmo quando seja de forma intensa, pode indicar prisão de ventre. Ela pode ser uma condição em si mesma, com duração de poucos dias, ou pode ser a causa de um problema maior.

Se ela aparece de forma crônica ou frequente, está mais do que na hora de fazer uma visita ao médico, para eliminar qualquer condição que aflija o intestino grosso.

A constipação intestinal também pode levar ao desenvolvimento de hemorroidas — quando veias pequenas da vascularização do reto saem para fora do corpo e estouram, causando sangramento na região.

 

CAUSAS PARA PRISÃO DE VENTRE

Uma das principais causas para a obstipação intestinal é a falta de ingestão de alimentos ricos em fibras, bem como o pouco consumo de água. Também pode estar atrelado ao sedentarismo, consumo excessivo de proteína animal e alimentos industrializados.

Outra coisa que também pode contribuir para as causas da prisão de ventre é quando a pessoa não atende à necessidade de evacuar, o que gera o mau funcionamento dos intestinos.

Também estão atrelados a causa doenças específicas dessa área — doenças do cólon e reto, fissuras anais e câncer colorretal —, uso de alguns medicamentos e até mesmo alterações neurológicas causadas por estresse, depressão ou ansiedade.

 

PRISÃO DE VENTRE: SINTOMAS

Como em qualquer outro distúrbio, os sintomas podem variar de uma pessoa para outra, entretanto, de forma geral, os sintomas mais característicos são:

  • Redução no número de vezes que vai ao banheiro;
  • Dificuldade em fazer as necessidades;
  • Ressecamento das fezes e pouco volumosas;
  • Sensação de intestino ainda cheio;
  • Desconforto e inchaço no abdômen;
  • Mal-estar e gases presos;
  • Distúrbios digestivos.

Dentre os sintomas citados, talvez o mais comum seja fecaloma: massa compacta de fezes endurecidas que fica parado no reto ou no cólon-sigmoide, interrompendo o trânsito intestinal.

Esse é um sintoma que costuma aparecer mais em pessoas com dificuldade de locomoção, como pessoas acamadas e cadeirantes.

 

INTESTINO PRESO: O QUE FAZER?

Primeiro de tudo, quando os sintomas aparecerem, procure um médico especialista. Com esse profissional, será feito o levantamento do seu histórico e exames clínicos, que poderão te dar um diagnóstico assertivo para o encaminhamento de um tratamento adequado.

O tratamento da prisão de ventre tem por objetivo eliminar a causa do distúrbio, uma vez que ele é apenas um sintoma, e não uma doença em si. Mudanças de rotina na alimentação e exercícios podem ser benéficos para a regularização.

 

Alteração na rotina

Uma das primeiras mudanças, basicamente, é o aumento do consumo de fibras, encontradas em legumes, verduras, frutas e cereais, de alimentos com características laxativas e suplementos com fibra, seja em comprimidos ou na forma de biscoitos.

No segundo passo, recomenda-se ingerir a quantidade de líquidos que se aproxime dos dois litros, se não houver contraindicação, e realizar atividades físicas. Tudo isso somado ajuda para o funcionamento dos intestinos.

 

Regulador intestinal e cirurgia

Porém, alguns casos necessitam da ingestão de um regulador intestinal para melhor resolução do problema, uso de supositórios ou de lavagens intestinais. Por fim, somente em situações muito específicas é necessário partir para uma cirurgia com o intuito de retirar o fecaloma ressecado.

Vale lembrar que as recomendações devem ser feitas pelo médico especialista, uma vez que há medicamentos que, em vez de ajudar, podem prejudicar ainda mais os intestinos se usados de forma errônea e indiscriminada.

 

RECOMENDAÇÕES GERAIS

Para manter os intestinos funcionando de maneira correta e com menos risco de desenvolver uma prisão de ventre, é importante seguir algumas recomendações. São elas:

  • Sempre que der vontade, vá ao banheiro;
  • Beba muito líquido;
  • Evite álcool em excesso, pois desidrata as fezes;
  • Coma frutas, de preferência com casca, entre as refeições;
  • Tente administrar situações de estresse e ansiedade. Emoções podem ser fortes o suficiente para influenciar o funcionamento correto do organismo;
  • Ao notar mudanças expressivas nos hábitos intestinais, procure um médico, principalmente se as fezes estiverem ressecadas ou muito finas;

Também procure assistência médica em caso de haver sangramentos ou estiver perdendo peso sem explicação aparente.